Único mestrado Europeu em Ecologia Aplicada vem para Portugal.

A Universidade de Coimbra (UC) foi seleccionada pela União Europeia para leccionar, a partir de Setembro, o único mestrado europeu em Ecologia Aplicada, em parceria com mais três universidades europeias. O curso será ministrado em parceria com as Universidades de Poitiers (França), Kiel (Alemanha) e Norwich (Inglaterra) e em colaboração com universidades do Brasil, Equador, Estados Unidos, Nova Zelândia e Austrália. Paulo Sousa, professor do Departamento de Zoologia da Faculdade de Ciências e Tecnologia, vai coordenar o mestrado.

Contudo, não vejo ninguém ligar nenhuma ao assunto, ou fazer eco desta notícia. Não se percebe porquê. Simplesmente não se entende.

“Trata-se de consolidar a cooperação que já existia ao nível da investigação e trazer para o mestrado o now-how já existente”, frisou o professor do Departamento de Zoologia da Faculdade de Ciências e Tecnologia, local onde vai decorrer a formação.

O mestrado europeu em Ecologia Aplicada vai formar especialistas capazes de desenvolver e conduzir projectos em ecologia aplicada em todo o mundo, “dotando-os de fortes competências, complementadas com uma especialização profissional num dos campos principais da ecologia”, refere uma nota daquele departamento.

Segundo o investigador Paulo Sousa, o curso vai ser frequentado por 26 alunos, 20 provenientes de países de fora do espaço comunitário (americanos, chineses e africanos) e seis europeus, embora o número de candidaturas ultrapasse, neste momento, o meio milhar.

O projecto, financiado pela UE, através do programa Erasmus Mundo, pretende que “alunos e investigadores de fora do espaço da UE se possam formar na Europa”.

“É uma excelente oportunidade para os alunos trocarem e partilharem experiências e informações com os investigadores”, afirmou Paulo Sousa, para quem “a ciência não se faz isoladamente, mas sim partilhando conhecimentos”.

O professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC considera que o mestrado “é uma mais valia porque permite aos estudantes ter formação e desenvolver as suas teses em países não europeus”, permitindo-lhes contactar com outro tipo de sistemas ecológicos. “Os alunos vão sair bastante bem preparados para actuar nos seus países de origem”, garantiu.
Por outro lado, acrescenta, “para a UC é uma forma de internacionalização, trazendo alunos e investigadores de outros países”. Paulo Sousa adiantou ainda à agência Lusa que, numa segunda fase, “num futuro muito próximo”, a UC irá alargar o projecto até aos doutoramentos.

Fonte: Lusa

Uma resposta

  1. Boa noite!
    Gostaria de saber como funciona a seleção do mestrado desse instituição? Como se procede as seleção de bolsas para alunos estrangeiros? Sou estudante do nono semestre de Zootecia,e tenho uma enorme vontade de estudar nesse instituição. Sei da credibiladade q ela possue. Porém não tenho condiçoes financeira pra isso, precisaraia de uma bolsa pra isso.
    Grato! Geniison Amaral

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: